sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Coração Flexível



"Albert Camus uma vez escreveu: 'Abençoados os corações flexíveis, pois eles nunca serão partidos.'Mas eu penso comigo mesmo. Se não se partirem, não se curam. E se não houver cura, não há aprendizado. E se não houver aprendizado, não há luta. Mas a luta é uma parte da vida. Então, todos os corações precisão ser partido?" - OTH

Respondendo a pergunta, digo que não é "preciso" um coração ser partido. Ele será partido. Mesmo quem o fez, acontecerá também.

Estamos dispostos a nos apaixonar. Por quem e quando não escolhemos. E quando isso acontece e percebemos, não queremos.

Algumas vezes a razão / Não é coerente / Algumas vezes só o coração / Escolhe o que sente.

Logo o coração vai cedendo. E a primeira dificuldade é admitir.
A segunda é se aproximar.
A terceira é identificar se a pessoa também se interessou ou não.
A quarta é saber a verdade de que não era aquilo que você pensou.

Porque essa pessoa não olhava para você. Estava olhando para alguém que estava a frente dele.
E você queria que ele olhasse não só para você, mas também através de você.

E a quinta dificuldade é sentir o seu quarto desarrumado, ou seja, o coração fraturado.

E como dói a cada batimento dificultoso. Esse lugar que já passou por isso, que já foi quebrado, repassa para reaprender.
Reaprender a viver o sonho que você prende. O sonho que te faz querer viver mesmo com a dificuldade de batimento.

Pois ele vai reunir os pequenos pedaços que se encontram no chão do quarto.
E aos poucos você percebe que pode reconstruir a casa por inteira. E a frase de A. Camus também: Abençoados os corações flexíveis, pois conseguirão se adaptar às dificuldades.

Um comentário:

jonny disse...

A maior virtude é cai e levanta-se esse testo mostrar essa idéia pois aprendemos errando mas que gosta de errar, ninguém mas é preciso.